quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

cartas do amor urgente





entrego-te a folha escrita
mas és tu que a vais entregar
tu não sabes
mas levas a minha vida na tua mão

confio-te o melhor de mim
porque as minhas palavras
ganham-me sempre em concurso
com os meus atos tresloucados

leva à tua irmã as minhas letras
ainda não é dia dos namorados
mas eu já a namoro
com o normal romantismo
de um coração que envia mensagens

não acredito nas soluções avançadas
para sentimentos antigos
o meu coração pode vir a ter
um pace maker
mas não pode
digitalizar
porque ama mas não é lógico

então espero espero
que a carta vá e volte outra
perfumada amorosa
em papel seda

este processo da produção
da carta de amor
não me sai da mente
por isso chamo a este poema
cartas * do amor * urgente


c peres feio

2 comentários:

fernanda s. monteiro disse...

Gostei, Carlos. Gostei, Maria Azenha.
Abraços aos dois.

(posso levar? )

maria azenha disse...

Claro que sim...
abraço, amiga.