terça-feira, 19 de junho de 2012

poemas políticos





Por aqui andamos a morder as palavras
dia a dia no tédio dos cafés
por aqui andaremos até quando
a fabricar tempestades particulares
a escrever poemas com as unhas à mostra
e uma faca de gelo nas espáduas
por aqui continuamos ácidos cortantes
a rugir quotidianamente até ao limite da respiração
enquanto os corações se vão enchendo de areia
lentamente
lentamente


EGITO GONÇALVES
in "Poemas Políticos, 1952-1979"
Colecção CÍRCULO DE POESIA
MORAES EDITORES




Sem comentários: