sexta-feira, 25 de março de 2011

Cai uma folha no poente



Cai uma folha no poente destes dias
O que era nítido torna-se difuso
Babel renasce em cinzas de um deserto próprio
E o vento busca em vão uma harmonia

A solidão é em mim um oásis às avessas
Lutando em vão contra a miragem certa




Amélia Pais




http://barcosflores.blogspot.com/

Sem comentários: