terça-feira, 10 de março de 2009

vazio




A poesia fugiu do mundo.
O amor fugiu do mundo —
Restam somente as casas,
Os bondes, os automóveis, as pessoas,
Os fios telegráficos estendidos,
No céu os anúncios luminosos.

A poesia fugiu do mundo.
O amor fugiu do mundo —
Restam somente os homens,
Pequeninos, apressados, egoístas e inúteis.
Resta a vida que é preciso viver.
Resta a volúpia que é preciso matar.
Resta a necessidade de poesia, que é preciso contentar.


Augusto Frederico Schmidt



alguma poesia

2 comentários:

adelaide amorim disse...

Bendita a tecnologia que torna possível distribuir tanta beleza!
Beijos.

Jefferson Bessa disse...

Lindo blog! Virei sempre aqui.

Abraços.
Jefferson.