quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

BOUDU SALVO DAS ÁGUAS


O meu caminho é o caminho do vento
Que nunca sabe de si próprio.



Construir para quê
Se a casa será sempre uma prisão
Onde habitam três estrelas tristes
E o ruído da lua



E a vida e o amor
Têm o tempo de um
Relâmpago?


Henrique Dória

Sem comentários: