sábado, 21 de fevereiro de 2009

poema para a Maat



Mulher bela de coração aberto,
Tua mirada é clara e perfeita.
Na tua poesia quase onírica, quase etérea,
Convergem todas as coisas,
Rosas vermelhas como feridas.
Desertos e campos em flor.
Música das mais altas esferas.
Mulher de uma só peça.
Criatura anjo, sempre eterna.
Mulher de uma cristalina sapiência.
Mulher, em toda sua substância e beleza.


Luis Enrique


in MI PLANETA X

4 comentários:

adelaide amorim disse...

Belo e merecido poema, amiga.
Fico muito honrada com sua proposta.
Brijos

Luis Enrique disse...

Obrigadíssima Maat, embora você, querida amiga, mereça todas as palavras que possam dizer alguma coisa na poesia, fiquei nesta singela mas sincera dedicatoria. Obrigada nós amiga, por oferecer-nos sempre seu ser na suas eternas palavras em poesia, vc é a melhor poeta que conheço em vida. Obrigada por estar alí !


bjs

Maria Costa disse...

Faço minhas as palavras da Adelaide Amorim.


Beijos

Isabel José António disse...

Cara Amiga O Pó da Escrita,

Muitos parabéns por tão bela poesia.

Um grande abraço

José António