quinta-feira, 26 de junho de 2008

deviam existir uns anjos


Deviam existir uns anjos
que amassem, durante as madrugadas
todas as mulheres tristes
todas as mulheres feias
as mal-amadas, as desamadas.

Então só haveria na face da terra
mulheres serenas e felizes,
com aquele brilho nos olhos que mostram
quando estão apaixonadas e são correspondidas.

E este pobre mundo conheceria enfim
o que é parecer-se com os jardins do Éden.

Walter Cabral de Moura

Sem comentários: