domingo, 29 de junho de 2008

roupa no varal em tarde de vento


Uma calça azul, pendurada
no varal da varanda sem cor
parece querer voar
parece uma pipa chinesa
que meninos empinassem
parece querer mostrar
que em outro lugar, talvez
a leste do vento sul
há outras cores, outras vidas,
outras idéias e amores.


E eu que cheguei a pensar, no meu
rústico sem-modo, que uma calça
fosse apenas uma calça: uma calça
– coisa só de se vestir.


Walter Cabral de Moura

Sem comentários: