sexta-feira, 17 de outubro de 2008

levaram da casa um cofre



levaram da casa um cofre.
cofres-fortes... rio-me deles
servem só para guardar
valores de segunda:
ouro, jóias, papéis...

pois carrego comigo
cá dentro e bem seguro
um cofre de verdade
onde guardo sentimentos.


Walter Cabral de Moura

1 comentário:

Mïr disse...

Lindo desprendimento e precioso sentimento.

Gostei muito deste poema.