terça-feira, 21 de outubro de 2008

o mar chama...



Tacteio
o insondável
abismo
da ternura
no glacial

cume
dos ombros


A sua sinuosa
orografia
lembra

a textura
das algas
flutuando
à deriva
num mar

em chamas





in " A arquitectura das palavras" de Vítor Solteiro

1 comentário:

Mïr disse...

Bela a "textura" deste poema do Vítor Solteiro.