quarta-feira, 30 de julho de 2008

o amor



"O amor é uma troca entre duas correntes de energias, dois pólos opostos mas complementares. Não é o corpo físico que inspira o amor, muitas vezes ele só intervém no fim do processo como um culminar, só vem na sequência. O que inspira o amor é invisível. Em geral, dá-se mais importância ao corpo do que aquela que ele possui realmente. Colocados lado a lado, os cadáveres de dois seres que se amaram abraçam-se? Não, mas as suas almas, que são vivas, continuam a relacionar-se. É a vida nas criaturas que provoca atracção ou repulsa. Portanto, antes de os corpos serem atraídos um para o outro, houve correntes fluídicas que os levaram a aproximar-se; os corpos apenas seguiram o movimento, bem no fim deste processo."



Omraam Mikhaël Aïvanhov


Sem comentários: